BAPTISTA, António Alfredo da Fonseca Tavares Alçada

António Alfredo da Fonseca Tavares Alçada Baptista nasceu na Covilhã, em 29 de Janeiro de 1927 e faleceu em Lisboa, a 7 de Dezembro de 2008. Estudou no Colégio de Jesuítas de Santo Tirso e licenciou-se em Direito na Universidade de Lisboa. Exerceu advocacia durante sete anos, entre 1950 e 1957, abandonando a profissão para se dedicar a outras actividades, nomeadamente de ensaísta, ficcionista, memorialista e editor, tendo comprado e dirigido a Livraria Moraes Editora, que revelou vários autores portugueses, como Sophia de Mello Breyner, Jorge de Sena, Alexandre O’Neill, Vitorino Nemésio, entre outros. Em 1958, apoiou a candidatura de Humberto Delgado à presidência da Republica. Em 1963, fundou a revista O Tempo e o Modo, cujo corpo redactorial era maioritariamente constituído por católicos, contestatários da relação entre a Igreja e o Estado Novo. No entanto, vários vultos da esquerda portuguesa colaboraram com esta revista. Foi um dos signatários do manifesto católico de apoio à oposição democrática, conhecido como o Manifesto dos 101. Entre 1971 e 1974, foi assessor para a cultura do ministro da Educação Nacional, Veiga Simão. Após o 25 de Abril, dirigiu o jornal Dia, foi presidente do Instituto Português do Livro, presidente da Comissão de Avaliação de Mérito Cultural e administrador da Fundação Oriente. Foi sócio da Academia de Ciências de Lisboa e membro da Academia Brasileira de Letras. Tem uma vasta obra literária.

Manuel Loff, Sofia Ferreira