GONÇALVES, Bento

Bento Gonçalves nasceu em 1902 e faleceu no Tarrafal, Cabo Verde, a 11 de Setembro de 1942. Operário e sindicalista do Arsenal da Marinha, com uma sólida formação marxista-leninista, filiou-se no PCP, em 1928 e foi um dos principais reorganizadores deste partido em 1929, sendo posteriormente eleito secretário-geral. Procurou dotar o Partido Comunista Português de uma linha ideológica, organizativa e táctica de carácter leninista. Combateu as tendências anarco-sindicalistas e a prática de actos de terrorismo, bem como a adesão aos golpes reviralhistas. Deu especial atenção à formação teórica dos quadros e à doutrinação dos militantes, iniciando a publicação do Avante! E procurou impor uma disciplina rígida e os cuidados conspirativos necessários para que o aparelho partidário pudesse resistir na clandestinidade sem perder a ligação às massas. Em 1935, participou no VII Congresso da Internacional Comunista, em Moscovo, tendo sido preso no seu regresso ao país, juntamente com Júlio Fogaça e José de Sousa. Foi condenado pelo Tribunal Militar Especial a seis anos de prisão e deportado para o campo de concentração do Tarrafal, onde redigiu Palavras Necessárias, a primeira visão marxista-leninista do movimento operário português, e Duas Palavras, uma análise crítica da actividade do PCP desde 1929. Morreu no Tarrafal quando o tempo de prisão já excedia a pena a que fora condenado.

Manuel Loff, Sofia Ferreira